source | theguardian.com

Quando publiquei o último post, o wordpress avisou-me que esse era o post 299 do meu blog. 299? – pensei eu – bolas, o post 300 tem que ser especial. Nada de trend alert, fashionary, ou um vídeo que acho que vale a pena partilhar. Este teria que ser um daqueles posts com texto, um post pessoal e relevante.
(Sem aperceber-me, estava a cometer o meu primeiro erro relativamente ao post 300: exagerar a sua importância.)
O problema aqui é que não fazia ideia nenhuma sobre que escrever.
Pareceu-me que uma boa estratégia seria perceber qual tinha sido o meu post número 200 e , depois, o post número 100… como se, de repente, a centena fosse um marco excepcional que, importava assinalar.
Post 200: “Natal: o último fds! | Xmas: final weekend!”
Um post sobre aquele último fim de semana antes do Natal, que adoro! E uma lista do que seriam esses meus dias.
Post 100: “GUIA NY | NY CITY GUIDE”
o guia de NY, um post que começou por não ser um post, mas uma série de dicas para a Andreia que ia visitar NY em breve, mas que me deu tanto prazer escrever que resolvi fazer dele um post e assumir um nova categoria neste blog – os meus city guides.
Portanto, dois posts totalmente diferentes, sem possibilidade de me darem qualquer dica sobre o conteúdo do post 300.
Escrevinhei algumas ideias, mas nenhuma delas me pareceu suficientemente interessante, ou particularmente importante, para constituir matéria de post. Por isso fiz aquilo que, ultimamente, me tenho habituado a fazer. Arrumei esta minha preocupação/ tarefa/ ideia no fundinho da minha cabeça e pensei: algo há-de ocorrer-me nos próximos dias.
Era sexta-feira, dia 11 de Abril, e o assunto foi arrumado à espera de uma inspiração que apareceria a qualquer momento… sábado, domingo, segunda, terça, quarta e … N A D A !
Aliás, qual era a surpresa? Com uma profissão criativa, tenho a obrigação de saber que o segredo para obter resultados é mesmo os 90% de trabalho e os 10% de inspiração.
E apercebi-me que o meu post teria que ser sobre isto mesmo: procrastinação, uma palavra que parece ter entrado no vocabulário de toda a gente de um momento para o outro e que significa “deixar para depois”, “adiar”.
Procrastinar é socorrermo-nos de todas as desculpas, de todos os feeds dos blogs que seguimos, de todas as actualizações de estado de facebook de pessoas com quem não falamos há anos, de todas as fotos de instagram de pessoas que nem conhecemos, de todos os vídeos de youtube, ted talks, twitter, etc, etc, etc, para não fazermos aquilo que realmente temos que fazer: aquele desenho que já devia estar pronto, aquela carta de apresentação que tem que ser entregue amanhã, o currículo que é preciso actualizar, aquele plano de negócios que é para pôr no papel mas não sai da cabeça, etc, etc, etc.
Procrastinar é o que me aconteceu com este post 300. E procrastinar é algo comum na minha vida nos últimos meses. Aliás, a procrastinação é de tal forma intesnsa que me questiono se estou a sofrer de um caso de procrastinação aguda ou de um caso de FOMO (fear of missing out), já que este adiamento, no meu caso, vem geralmente revestido de uma necessidade absurda de verificar o que se passa nos social media.
Mas acho que posso dizer, com alguma segurança, que se trata de procrastinação e que os sintomas de FOMO são apenas a forma que o meu cérebro escolheu para pôr em práctica o adiamento quase crónico.
Preguiça, dirão alguns. Não é verdade! Procrastinar não tem nada a ver com preguiça, as razões psicológicas que lhe estão inerentes são bastante complexas e dizer que procrastinar é preguiçar é uma simplificação inaceitável.
“A procrastinação pode ser uma desordem persistente e debilitante em algumas pessoas, causando disfunções e imperícia psicológicas significantes” diz a wikipédia.
“Procrastination has ruined many lives”, diz este artigo, e, se assim é, tenho que meter ordem nisto!

Como?
1: Fazer listas!
Hoje, no caminho para o trabalho, vinha a fazer uma lista de tarefas que tenho que cumprir nos próximos dias. Das mais simples às mais complexas, até porque incluir tarefas simples nessa lista pode ajudar a atingir um sentimento de realização que funciona como uma vitamina que ajuda a concretizar mais e mais tarefas.
2: Criar prioridades
Nem tudo tem a mesma urgência ou importância. Avaliar e perceber o que é mais importante.
3:Subdividir as tarefas mais complexas.
Gerar mini tarefas faz com que a grande tarefa nos pareça mais simples, mais acessível, e, assim, mais fácil de cumprir.
4: Estabelecer deadlines
Impôr deadlines é meio caminho andado para evitar adiar as tarefas.
5: Não exagerar!
Don’t blow tasks out of proportion! Afinal, não escrever o post 300 em menos de uma semanana, não é o fim do mundo!

When I published my previous post, wordpress warned me that this was the 299th post of my blog. 299? – I thought – F*#$%, the post 300 has to be special. No trend alert, fashionary, or a video that I think is worth sharing. This would have to be one of those posts with text, a personal and relevant post.
(Without realizing it, I was committing my first error regarding the post 300: (I was exaggerating its importance.)
The problem here is that I had no idea what to write about.
It seemed to me that a good strategy would be to understand what had been my 200th post and then the post number 100… as if, suddenly, the hundred was an exceptional milestone, something to mark.
Post 200: “Christmas : the last fds! | Xmas : Final weekend!”
A post on this last weekend before Christmas, which I love! And a list of what these days would be like.
Post 100 : GUIDE NY | NY CITY GUIDE
NY guide, a post that began, not as a post, but as number of tips for Andreia who was visiting NY soon, but that gave me so much pleasure that I decided to write as a post and assume a new category on this blog – my city guides.
Therefore, two totally different posts without any possibility of giving me any hint about the contents of post 300.
I wrote down some ideas, but none of them seemed interesting enough, or particularly important, to establish the field of a post. So I did what, lately I’ve been doing. I packed this concern/ task/ idea in the back of my head and thought, that something would occurr to me in the coming days.
It was Friday, April 11, and this matter was waiting for an inspiration that would appear at any moment… Saturday, Sunday, Monday, Tuesday, Wednesday and … N O T H I N G !
Incidentally, what was the surprise? With a creative profession as mine, I have an obligation to know that the secret to getting results really is 90 % work and 10 % inspiration.
And I realized that my post would have to be about this very thing, procrastination, a word that seems to have entered the vocabulary of everyone and that means “leave it for later”, “to delay” .
Procrastinating is using all the excuses, all the feeds of blogs that you follow, all facebook status updates of people you haven’t spoke with in years, all instagram photos of people you do not know, all the youtube videos, ted talks, twitter, etc, etc, etc, not to do what you really have to do: that drawing that should be ready by now, that cover letter that has to be delivered tomorrow, the curriculum that is screaming for an update, that business plan that needs to get out of your head and on to paper, etc, etc, etc. .
Procrastinating is what happened to me with this post 300 . Procrastinating has been a common thing in my life in recent months. In fact , procrastination is such intense by now that I question myself if I’m suffering from a case of acute procrastination or a case of FOMO (fear of missing out), since this delay, in my case, is usually coated with an absurd need to check what is happening in social media.
But I think I can say with some certainty that it is procrastination and that the symptoms of FOMO are just the way my brain chose to put into practice an almost chronic procrastination.
Laziness, some might say. Not true! Procrastinating has nothing to do with laziness, the psychological reasons that are inherent in it are quite complex and saying that procrastinating is laziness is an unacceptable simplification.
“Procrastination can be a persistent and debilitating disorder in some people , causing significant psychological dysfunction and ineptitude” says wikipédia.
“Procrastination has ruined many lives” says this article , and , if so , I have to place order on it !

How ?
1 : Make lists !
Today , on the way to work, had been making a list of tasks that have to meet in the coming days . From the simplest to the most complex , because that list include simple tasks can help achieve a sense of accomplishment that functions as a vitamin that helps to achieve more and more tasks .
2 : Create priorities
Not everything has the same urgency or importance . Rate and realize what is most important .
3 : Subdivide the more complex tasks .
Mini generating tasks makes the big task in simpler , more accessible , and thus easier to enforce appears .
4 : Establish deadlines
Impose deadlines are halfway to avoid postponing tasks .
5 : Do not overdo it !
Do not blow out of proportion tasks ! After all , did not write the post 300 in less than an semanana , is not the end of the world !

PS: Algumas leituras sobre o tema:
PS : Some readings on the topic:

“This column will change your life: structured procrastination”
“Putting the Pro in Procrastination”
“18 powerful tips for overcoming procrastination”
“Why we procrastinate by Vik Nithy @ TEDxYouth”


source | kpopstarz.com

O episódio 15 da season 5 de The Goodwife.
The Goodwife, season 5, episode 15.


source | twentiescollective.com

Dear Diary #13 de Jessica Schiffer.
Jessica Schiffer’s Dear diary #16.


source | nicolefranzen.blogspot.pt

A fotografia do Blog de Nicole Franzen.
Nicole Franzen’s Photography in her blog.


source | garancedore.com

Bálsamo multifunções cabelo/ mãos/ unhas.
All purpose hair/hand/nail balm.

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

Join 41 other followers